sábado, 22 de agosto de 2009

Planos de aula de português para o ensino fundamental 3

O que é letramento?

Objetivos
1) Utilizar o conceito de letramento para organizar a prática escolar e aperfeiçoar o processo ensino-aprendizagem da língua portuguesa e dos demais códigos.
2) Por meio da reflexão sobre o conceito de letramento na prática educativa, contribuir para o debate sobre as condições de letramento no Brasil.
Ponto de partida
É possível afirmar que não existe "grau zero de letramento" ou "iletramento", pois todo sujeito, independentemente de condição socioeconômica ou intelectual, faz algum tipo de uso da escrita e de sua prática social.
As controvérsias acerca do conceito de letramento e as dificuldades empíricas de sua mensuração transformam-se na verdade em ferramentas de suma importância para o debate em torno das condições de letramento no Brasil.
Comentário
As transformações socioeconômicas, políticas, históricas e/ou culturais provocam o surgimento de novos conceitos e/ou termos para designar fenômenos recém-surgidos e que ainda se encontram em processo de recepção e compreensão pela sociedade na qual se inserem.
Desse modo, a adoção do vocábulo "letramento" vem atender a uma nova realidade, já que só recentemente a sociedade brasileira passou a preocupar-se com o desenvolvimento de habilidades para utilizar a leitura e a escrita nas práticas sociais e não somente com o saber ler e escrever mecanicamente. Contudo, essa transformação traz consigo problemas de delimitação de sentido, de definição e também de mensuração.
Segundo Magda Soares, letramento seria a tradução para o português da palavra inglesa "literacy", que etimologicamente se origina da forma latina "littera", cujo significado é "letra". Ao latim "littera" foi adicionado o sufixo "-cy", que expressa estado ou condição, para formar o vocáculo inglês "literacy". Parece que do mesmo modo se fez em português, ou seja, ao radical "letra-" foi acrescentado o sufixo "-mento", formando assim a nova palavra.
Alguns autores argumentam que o termo literacia, utilizado em Portugal, seria mais apropriado que letramento. Outros propõem, ainda, o vocábulo leiturização. Há também aqueles que defendem ser desnecessária a adoção de um novo termo, já que acreditam ser a palavra alfabetização própria para abarcar também o novo conceito.
Embora letramento seja equivalente, no Brasil, ao termo "literacy", trata-se de palavras que apresentam conceitos distintos, uma vez que o vocábulo inglês significa capacidade ou habilidade para ler e escrever, e não condição ou estado resultante da utilização da leitura e da escrita nas práticas sociais.
Assim, a acepção de "literacy" parece estar mais próxima de alfabetização e não de letramento, fato que acaba acarretando outro problema em relação a essa terminologia, já que a concepção de sujeito alfabetizado nos países que se valem do termo "literacy" parece estar um pouco distante daquela adotada atualmente no Brasil.
Isso ocorre porque, ainda que atualmente questões relacionadas à capacidade de leitura e interpretação de textos e do uso eficiente da leitura e da escrita preocupem tanto países periféricos ou em desenvolvimento, como o Brasil, quanto países ricos e desenvolvidos, como os EUA, França e Alemanha, percebe-se que existe uma grande diferença no que se refere às exigências de letramento entre eles.
Atualmente a definição mais difundida é a apresentada por Magda Soares: "Letramento é o resultado da ação de ensinar ou de aprender a ler e escrever, o estado ou condição que adquire um grupo social ou um indivíduo como conseqüência de ter-se apropriado da escrita." Desse modo, letramento seria resultado ou conseqüência do processo de alfabetização.
Enquanto se utiliza o termo analfabeto em oposição a alfabetizado, não é possível, de maneira análoga, aplicar a mesma relação entre letrado e iletrado. Mesmo o indivíduo que não sabe ler nem escrever de alguma maneira faz uso da escrita quando se relaciona com outros atores sociais, seja pedindo que outro leia para ele uma carta ou bula de remédio, seja tentando chegar a algum bairro da cidade, o qual ele ainda não conheça, ou mesmo relatando um fato ou acontecimento a alguém.

Sintaxe
Objetivos
1) Levantar e analisar termos específicos utilizados em análise sintática;
2) Estudar os elementos do período simples: sujeito e predicado;
3) Relacionar o período simples com o período composto;
4) Reconhecer recursos estilísticos presentes na poética de Paulo Leminski: ironia, duplo sentido, metalinguagem.
Ponto de partida
Leitura do poema O assassino era o escriba:
O assassino era o escriba
Meu professor de análise sintática era o tipo do sujeito inexistente.Um pleonasmo, o principal predicado da sua vida,regular como um paradigma da 1ª conjugação.Entre uma oração subordinada e um adjunto adverbial,ele não tinha dúvidas: sempre achava um jeitoassindético de nos torturar com um aposto.Casou com uma regência.Foi infeliz.Era possessivo como um pronome.E ela era bitransitiva.Tentou ir para os EUA.Não deu.Acharam um artigo indefinido em sua bagagem.A interjeição do bigode declinava partículas expletivas,conectivos e agentes da passiva, o tempo todo.Um dia, matei-o com um objeto direto na cabeça.

Comentários
1) A análise e interpretação do poema de Paulo Leminski podem ser ótimo ponto de partida para o ensino de alguns tópicos de análise sintática;
2) O professor pode também aproveitar a ironia do texto para discutir a nomenclatura gramatical;
3) Outra possibilidade é a realização de um debate sobre o ensino de língua portuguesa e sobre a importância (ou não) das regras de gramática para o aluno.
Estratégias
1) Leitura individual do texto e levantamento de vocabulário próprio da análise sintática;
2) Discussão em grupo de alguns dos temas a seguir:
a) Alguns termos que aparecem no texto não são mais utilizados (por exemplo: "sujeito inexistente"). Explique o porquê.
b) Como se classifica o sujeito?
c) Como se classifica o predicado?
d) Compare os elementos do período simples com os elementos do período composto;
e) Questione a intenção do eu lírico de matar o professor de análise sintática (ou melhor, os professores de língua portuguesa).



A metáfora e a metonímia

Objetivos
1) Conhecer duas das principais figuras de linguagem: a metáfora e a metonímia;
2) Reconhecer o emprego das figuras de linguagem em diferentes contextos lingüísticos;
3) Analisar as funções da metáfora e da metonímia em textos específicos;
4) Analisar diferentes tipos de texto (poético e publicitário) nos quais há o emprego de figuras de linguagem.
Ponto de partida
Leitura atenta de dois textos: a letra da canção Metáfora, de Gilberto Gil, e um anúncio publicitário.
Metáfora - Gilberto Gil
Uma lata existe para conter algoMas quando o poeta diz: LATAPode estar querendo dizer o incontívelUma META existe para ser um alvoMas quando o poeta diz: METAPode estar querendo dizer o inatingível.
Por isso não se meta a exigir do poetaQue determine o conteúdo em sua lataNa lata do poeta TUDO/NADA cabePorque o poeta sabe fazerCom que na lata venha a caber o incabível.
Deixe a lata do poeta. Não discutaDeixe a sua meta fora da disputaMETA dentro e foraLATA absolutaDeixe-a simplesmente: METÁFORA.


Comentário
A atividade pode ser desenvolvida em dois tempos, o primeiro para o estudo da metáfora e o segundo para o estudo da metonímia. A aula pode ser desenvolvida pelo professor junto com toda a classe. Se houver o recurso da lousa digital, a aula pode se tornar ainda mais interessante. Outra opção é dividir a classe em dois grupos. Cada grupo trabalha com uma das figuras de linguagem. Ao final da atividade, toda a classe se reúne para discutir as conclusões das atividades.
Estratégias
A. Para o estudo da metáfora:
1) Levantar o vocabulário da letra da canção Metáfora e explicar a razão de algumas palavras aparecerem de forma destacada;
2) Explorar o jogo com as palavras "meta" e "lata";
3) Recapitular o conceito de metáfora e analisar o verdadeiro objetivo do uso desse recurso;
4) Interpretar o sentido de metáfora na letra de Gilberto Gil.
B. Para o estudo da metonímia:
1) Analisar os elementos do anúncio, como slogan, texto e imagem;
2) Explorar os objetivos do anúncio e as características do anunciante e do produto;
3) Abaixo da bandeira do Brasil está escrita a seguinte frase: "Estão tirando o verde de nossa terra." Qual o significado da frase e da modificação da bandeira do nosso país?
4) Acima da bandeira, há uma imagem de duas árvores derrubadas e entre elas a frase "Quer continuar a respirar?". Relacionada com a frase, que outra idéia as árvores derrubadas nos sugerem?
5) Ressaltar a importância da ONG, a mensagem e as suas principais características.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário