terça-feira, 20 de maio de 2008

História do Brasil... O papel feminino, a vinda da familia real

História do Brasil

Nível fundamental

O papel feminino

Introdução
O estudo da luta pela emancipação feminina no Brasil é relevante para o reconhecimento do papel da mulher na história, papel que muitas vezes foi esquecido por uma historiografia que, durante muito tempo, não teve o feminino como campo de pesquisas.
A análise das lutas empreendidas pelas mulheres brasileiras no início do 20 permite a percepção das relações entre o público e o privado aqui existentes, e a superação processual da crença na inferioridade feminina.
Esta aula também permite a avaliação das permanências e mudanças na representação do feminino e do masculino, de modo que a história dos gêneros seja focalizada.
Objetivos
1. Identificação das lutas para o reconhecimento da igualdade entre homens e mulheres.
2. Compreensão das permanências e mudanças no tratamento conferido às mulheres no mercado de trabalho.
3. Reconhecimento dos embates travados pelas mulheres brasileiras no início do século 20 em busca da igualdade de direitos (em relação aos homens) e do direito ao voto.
Estratégias
1. Coloque na lousa algumas frases que atualmente ainda são usadas para definir o que é considerado papel feminino e papel masculino. Ditados populares com aspectos preconceituosos em relação ao que é considerado função da mulher ou do homem provavelmente irão gerar grande envolvimento da turma. Deixe que os alunos façam isso sem saber quais são os seus objetivos, preste atenção em seus comentários para tornar o debate mais interessante.
2. Pergunte à turma quem sabe qual o seu objetivo em apresentar frases como as expostas e qual seria o assunto principal desses "ditos populares". A partir de suas colocações apresente o tema da aula e os principais assuntos que serão estudados.
3. Agora crie situações problema para os alunos solucionar, imaginando que são sujeitos históricos do início do século 20. Crie situações simples nas quais fiquem evidentes os diferentes tratamentos direcionados à mulher e ao homem. Volte à análise de alguns dos ditos populares, para relacioná-los com a crença na inferioridade feminina existente no passado e a permanência de algumas considerações semelhantes em relação à mulher na atualidade.
4. Depois das comparações entre o presente e o passado e da percepção das rupturas e permanências em relação às "funções" da mulher, faça uma explanação sobre a conjuntura (final do 19 e início do 20). É importante lembrar que a construção da idéia de que o lar cabia à mulher não era realidade para todas as brasileiras, portanto, não trate "a mulher" como uma categoria histórica, chame atenção para as diferenças sociais e regionais, ou melhor, para a valorização ou desvalorização daquelas que trabalhavam. É sabido, por exemplo, que o trabalho condenado para uma mulher da elite brasileira não tinha correspondente na vida social das mulheres pobres, muitas delas lavadeiras, passadeiras, empregadas domésticas, costureiras, etc.
5. Faça com os alunos a desconstrução da dicotomia entre público e privado demonstrando suas relações, principalmente para estas mulheres pobres, já que muitas delas desenvolviam o chamado "trabalho para fora" no espaço de sua casa, de modo que dividiam o tempo entre as tarefas domésticas e o trabalho desempenhado para compor a renda familiar.
6. Para finalizar pergunte à turma se sabe há quanto tempo as mulheres votam no Brasil. Partindo das respostas oferecidas, apresente o processo de luta pelo sufrágio feminino que no Brasil só foi alcançado na década de 1930.
Atividade
1. Leve à sala de aula reportagens, notícias ou mesmo artigos sobre o tratamento conferido a mulher no mercado de trabalho. Dados estatísticos referentes aos salários pagos pelo desempenho das mesmas funções também são relevantes para a percepção de permanências e mudanças nas relações entre feminino e masculino em diferentes instâncias, seja no lar, nas ruas ou no trabalho. Deixe que dispostos em grupos os alunos leiam os diferentes materiais trazidos e que se preparem para apresentar as informações que mais lhes chamaram atenção.
2. Finalize a atividade pedindo que cada grupo leve a sala de aula a gravação de algum comercial em que algum grupo ou minoria seja usado para vender o produto de modo preconceituoso. Juntamente com a exibição do comercial os alunos devem apresentar uma pequena reflexão justificando a escolha do material.



A vinda da Família Real

Ponto de Partida
Leitura dos textos Família Real no Brasil e Dom João na Bahia, no site Educação do UOL.
Objetivos
1) Conhecer os fatos e personagens relacionados ao tema.
2) Compreender as causas e as conseqüências do evento histórico, cujo bicentenário se comemora em 2008.
3) Perceber - se possível - como certos eventos implicam uma aceleração do tempo histórico: a presença da Família real desencadeia um surto de desenvolvimento no Brasil e impulsiona o processo de Independência do país.
Comentário
As atividades que se propõem a seguir servem tanto para o ensino fundamental quanto para o médio. Cabe ao professor dirigi-la e aprofundá-la, de acordo com o público com o qual vai lidar.
Atividade
Produzir um jornal impresso ou mural sobre a vinda da Família real ao Brasil e a sua presença aqui.
Estratégias
1) Dividir a classe em grupos e encarregar cada um deles da produção e redação de um dos cadernos que vão compor o jornal.
2) Basicamente, o jornal pode conter os cadernos de:
a) Política, para o qual se devem pesquisar os fatos acerca da vinda da Família real, suas causas e conseqüências. Por exemplo: a política napoleônica e o Bloqueio Continental, a decisão do príncipe regente, a transferência da corte (quantos navios, quantas pessoas, o que foi trazido, etc.), o fato de o Brasil deixar a condição de colônia, etc.b) Economia: a abertura dos portos, a fundação do Banco do Brasil e de indústrias...c) Cultura: a criação da Impressão régia, a Missão Artística Francesa... Aqui, podem-se explorar particularmente as gravuras de Jean-Baptiste Debret que apresentam imagens de grande valor documental sobre o país à época.d) Coluna Social: Quem eram os principais membros da Corte que vieram para o Brasil (a rainha Maria 1ª., o príncipe dom João, a princesa dona Carlota Joaquina, dom Pedro.e) Outros cadernos que abordem outros aspectos específicos que o professor ache pertinentes.
3) Organizar as equipes de produção dos cadernos, determinando quem vai pesquisar, quem vai redigir, quem vai atrás de imagens, etc.4) Havendo possibilidade, o projeto não deve se limitar à classe que vai realizá-lo: vale a pena imprimir uma certa quantidade de exemplares do jornal e distribui-lo na escola.
Sugestão
Para o ensino médio: A leitura de "Memórias de um Sargento de Milícias" se passa na época em que dom João 6º. Estava no Brasil e traça um divertido panorama do cotidiano das camadas médias e baixas da sociedade brasileira da época. Constitui-se, assim, num contraponto à presença da Corte no país. O livro pode ser estudado num trabalho conjunto com o professor de literatura.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário