quarta-feira, 28 de maio de 2008

História do Brasil...Produção de açúcar e biocombustíveis, holandeses no Brasil

História do Brasil

Nível fundamental

Produção de açúcar e biocombustíveis

Introdução
Um dos temas recorrentes na atualidade é o uso de biocombustíveis, também conhecidos como combustíveis variáveis. Para que os estudos sobre esse tema tenham profundidade é importante que os alunos conheçam as raízes históricas do uso da cana-de-açúcar no país. Assim, perceberão que questões contemporâneas se relacionam com ações de sujeitos históricos do passado - e que a cana-de-açúcar também sustentou a economia em outras épocas da história brasileira.
Objetivos
1. Conhecer a importância da cana-de-açúcar no Brasil.
2. Conhecer o conceito de monocultura e suas implicações práticas no país.
3. Identificação da estrutura dos engenhos de açúcar e da exploração da mão-de-obra escrava.
4. Análise comparativa do uso da cana-de-açúcar no passado e no presente.
5. Analisar os limites entre literatura e história.
Estratégias
1. Leve à sala de aula reportagens sobre o uso de biocombustíveis. Faça o exercício de leitura de um desses documentos. Escolha um texto que forneça várias informações, de maneira a facilitar a leitura dos outros textos. É importante que os alunos façam perguntas, colaborando, dessa forma, para o processo de construção do conhecimento.
2. Divida a classe em grupos e distribua as reportagens. Os textos devem tratar de diferentes questões: plantio da cana-de-açúcar, exploração da mão-de-obra, produção de biocombustíveis, etc. Deixe que os alunos leiam o material. Depois, devem apresentar pequenas sínteses à turma.
3. Lance algumas perguntas à classe: Quando a cana-de-açúcar foi trazida para o Brasil? Quem trabalhava na sua produção? Quem se beneficiava dessa produção? Ao mesmo tempo, avalie os conhecimentos que a classe tem sobre o assunto.
4. Fale sobre a exploração da cana-de-açúcar no país, comparando o passado e o presente. Valorize questões como: funcionamento dos engenhos; exploração dos escravos e formas atuais de trabalho; sistema de monocultura e características do agronegócio; etc.
Atividades
1. Apresente trechos do romance Menino de engenho, de José Lins do Rego. De preferência, trechos que enfoquem as relações sociais em um engenho de açúcar. Ouça as impressões dos alunos, mas não se esqueça de esclarecer sobre: momento histórico ao qual a obra se refere, contrastes entre urbano e rural, relações econômicas, relações de poder, preconceitos, etc. É fundamental que os alunos percebam as diferenças entre ficção e realidade.
2. Peça que os alunos pesquisem notícias e reportagens sobre os efeitos econômicos e sociais da produção de biocombustíveis. Depois, divida-os em equipes e peça que produzam uma história em quadrinhos, na qual os principais problemas sejam enfocados. É importante sugerir a presença de personagens preocupados com questões ambientais, por exemplo. Depois, os grupos devem apresentar as histórias e deixá-las expostas no mural da classe.



Ocupação holandesa

Introdução
Conhecer as razões que levaram à ocupação holandesa no Brasil, bem como seus reflexos na história do Nordeste brasileiro, permite aos alunos a percepção das relações da história do Brasil com outros países, além de Portugal, o que demonstra como os fatos não ficavam reduzidos às relações entre metrópole e colônia.
Objetivos
1. Conhecer as razões que levaram os holandeses a ocupar o Brasil.
2. Conhecer as regiões ocupadas pelos holandeses.
3. Conhecer a diversidade de interesses dos sujeitos históricos, como, por exemplo, a burguesia holandesa.
4. Analisar o papel da Companhia das Índias Ocidentais.
5. Identificar as relações de poder entre Holanda, Espanha e Portugal.
6. Conhecer as razões que levaram ao fim do domínio holandês no Nordeste.
Estratégias
1. Inicie a aula mostrando que a ocupação holandesa no território brasileiro acontece entre 1630 e 1654, mas que, anteriormente, já havia interesse holandês em explorar as riquezas do Brasil. O professor pode construir uma pequena linha do tempo, na qual as razões da frustrada ocupação da Bahia sejam apresentadas.
2. Depois, pergunte aos alunos: Quais interesses vocês teriam em relação ao Brasil se vivessem nesse período? O que os faria desejar a dominação de parte do território que era colonizado por Portugal? Registre as idéias em um cartaz e, a seguir, mostre para a sala, por meio de outro cartaz, já preparado, as razões históricas do interesse holandês.
3. Nesse momento é interessante que se faça uma explanação sobre o período em que os holandeses dominaram parte do litoral nordestino e sobre como efetuaram a exploração do açúcar. É importante salientar os movimentos de resistência à ocupação e, ao mesmo tempo, os interesses que fizeram com que os senhores de engenho não se indispusessem com a burguesia holandesa. Além disso, conhecer os objetivos da Companhia das Índias Ocidentais faz com que os alunos visualizem as relações da ocupação holandesa com toda uma macroestrutura histórica, capaz de esclarecer, inclusive, o fim da dominação espanhola.
4. Para finalizar, proponha um jogo aos alunos. Divida a turma em grupos que representem os personagens participantes do momento histórico em análise. Escolha um personagem para você, professor, e, por meio de uma encenação improvisada, peça que os alunos recontem a história que acabaram de estudar.
Atividades
1. Para que os alunos percebam as relações do que foi estudado com o presente, pesquise quais são os principais produtos agrícolas para a economia nacional e que posição ocupam seu produtores na sociedade brasileira. Analise esses dados com os alunos, sem se esquecer de demonstrar que, atualmente, existem muitas outras atividades que sustentam a economia brasileira.
2. Depois de terminado esse trabalho, aborde novamente a ocupação holandesa, de maneira a mostrar a importância do açúcar para a economia nacional. Por fim, apresente ao grupo os efeitos, para o Brasil, da produção de açúcar comandada pelos holandeses nas Antilhas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário